O processo envolve várias etapas que passam pela especificação e transporte e requerem cuidados e conhecimento

1 Contar com profissionais não qualificados 

Não contar com profissionais qualificados pode significar prejuízos tanto para as vidraçarias e empresas de esquadrias quanto para o consumidor final com retrabalho e atraso
na entrega. Além da comprovada experiência, a capacitação profissional também é um fator fundamental.

2 Não se atentar às especificações do projeto 

Este é um dos erros mais comuns na instalação dos vidros
e que pode representar grandes prejuízos, como desperdício de matéria-prima e tempo. O profissional deve estar habilitado e ter pleno conhecimento das normas técnicas para especificar os tipos de vidros e materiais adequados para um projeto.
Vale ressaltar que, no caso do vidro ter uma função estrutural, a especificação deve ficar a cargo do engenheiro responsável pela obra.

 

“De acordo com a legislação, o profissional habilitado para especificação de produtos e dimensionamento de materiais de uma obra é o responsável técnico e/ou autor do projeto, seja ele arquiteto ou engenheiro. Estes profissionais têm o dever
e responsabilidade de definir os produtos, porém como são inúmeros os materiais e tecnologias atualmente definidas eles podem ter dificuldade nesta tarefa. Assim, cabe ao fornecedor auxiliar tanto o profissional quanto o cliente final ao acesso
à informação, como por exemplo, indicar as normas vigentes inerentes ao vidro e suas aplicações”, afirma Rebeca Andrade, especialista na área de Especificação Técnica PKO do Brasil.

 

Caso o vidraceiro também não tenha conhecimento aprofundado, deve buscar auxílio de um processador
ou fabricante que tenha uma equipe técnica à disposição
e que mostre abertamente as referências que utilizou
para especificação do produto, mostrando transparência
e fidelidade de informação. A PKO do Brasil oferece um simulador exclusivo que permite fazer especificações online 
de tipo de vidro, espessura, além da simulação de proteção solar e conforto acústico.

3 Falta de cuidado na movimentação
e transporte do vidro

O vidro é um material frágil que requer cuidados para ser movimentado e transportado. Vidros que tenham lascas devido a esse tipo de problema podem apresentar quebra espontânea e gerar prejuízos. Para um manuseio correto é preciso proteger as bordas do vidro com papelão e também contar com carinhos e cavaletes adequados para apoio do material em segurança.

 

É fundamental que os vidros também sejam transportados sempre na vertical por ordem decrescente de tamanho dos vidros. Primeiro coloque os maiores, em seguida os médias
e por último os menores. Um dos principais modos para transporte desse material são os cavaletes. Todas as partes que tenham contato com o vidro devem estar protegidas
por borrachas e as borrachas da base devem ser do tipo
duas lonas e as dos encostos devem ser macias.

Outro instrumento são os encostos de ferro, mais utilizados para o transporte de espelhos e vidros laminados.
É importante verificar a amarração das escoras frontais
e a fixação dos encostos, que devem ter o seu movimento obstruído durante o transporte, por meio da fixação
de pranchas de madeira na base da carroceria do caminhão.
Fique atento às novas regras de amarração de cargas, vigentes a partir de janeiro de 2018.

Não analisar a necessidade
de produtos especiais
 

Antes da instalação é preciso verificar as características
do ambiente e dos vidros, uma vez que problemas com perfis, com bolor e com vazamentos prejudicam a instalação.
Antes da instalação da janela e portas de vidro é preciso verificar as características do ambiente e dos vidros,
conforme indica Rebbeca:

Problemas com perfis: Alguns tipos de vidro e preciso contar com perfis especiais que suportem o peso e a espessura
do material. Perfis de PVC muitas vezes dispensam o uso
de calços por serem mais macios.

Problemas com bolor: Áreas muito úmidas precisam de silicone com fungicida para instalação de vidros, que irá evitar os bolores. Caso o silicone estiver contaminado é preciso limpar o local com álcool isopropílico e refazer a vedação.

Problemas com vazamentos: Para evitar que haja vazamento, é preciso contar com borrachas e silicones especiais.

 

Utilização de calços de má qualidade

“De acordo com a norma NBR 7199, o calço tem a função
de manter a lamina do vidro em uma posição adequada
em relação à cavidade de alojamento previstos nos perfis
da folha e evitar o contato direto com materiais que possam causar danos ao vidro. No momento de escolher o melhor calço, é preciso considerar as dimensões do vidro para
que os calços suportem um peso maior que somente o vidro”, explica a especificadora técnica da PKO.

6 Não se atentar as folgas

As folgas são necessárias pois o vidro, as ferragens
e componentes se expandem e se movimentam com
as variações de temperaturas, podendo comprometer
a instalação. O recomendado é ter no mínimo 5mm de folga.

7 Não vedar adequadamente

De acordo com Rebecca, quando os silicones e as borrachas são aplicados inadequadamente eles podem provocar vazamento de água para dentro da estrutura.
Se a escolha for pelo silicone é preciso colocar nas bordas
do vidro uma fita adesiva, impedindo respingos do material
e garantindo melhor acabamento.

 

Já se escolha for pela borracha, deve-se evitar esticar
o material, que pode comprometer a acomodação do vidro e o preenchimento do perfil. De acordo com norma, as guarnições devem se adaptar as dilatações, deformações e vibrações causadas por ações mecânicas ou variação de temperatura.

 

8 Fazer limpeza do produto de maneira errada

A limpeza dos vidros deve ser feita com água limpa, detergente neutro e pano seco, evitando produtos abrasivos ou ácidos. Além disso, deve evitar o uso de produtos agressivos
para marcação ou identificação, mesmo que provisória,
durante a instalação.

FONTE: www.vidroimpresso.com.br / 28.02.2018

Impercoat - Coatings de Alta Performance  / 55 11 9237-1062 / Av Conceição, 1043 - São Paulo-SP  enduris@impercoat.com.br